Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!

Caixa Manual: O ultimo elo de ligação entre homem e máquina

caixa manual

A nossa velha conhecida caixa manual tem vindo a perder terreno para as suas congéneres transmissões automáticas e de dupla embraiagem. Principalmente porque são mais rápidas, mais eficientes e simples de utilizar. Por tudo isto, são poucos os argumentos que as caixas manuais podem esgrimir face aos avanços tecnológicos das suas congéneres. Excepto num: a diversão!

Até porque na realidade a caixa manual é o último reduto que assegura efectivamente  a nossa ligação ao automóvel. Se escalpelizarmos todos os processos que envolvem a condução, a mudança de velocidade é  mesmo o ultimo processo verdadeiramente mecânico no qual o homem intervém. Todos os restantes são eléctricos, senão vejamos:

O acelerador já não é composto por um cabo que abre uma escotilha no carburador, é agora um elemento que comunica electronicamente à centralina e posteriormente à injecção a nossa intenção de acelerar. A direcção deixou de ser um sistema de engrenagens desmultiplicadoras para ser mais um elemento composto por sistemas eléctricos, que varia a sua assistência em função das nossas necessidades.  Os travões são operados por inteligentes sistemas de repartição de travagens e afins, que aumentam e diminuem a travagem a seu belo prazer.

ManualTransmission

Resta portanto a velha caixa manual e o seu insubstituível tacto mecânico: carregar na embraiagem e engrenar… «engrenagens»!

Mas haverá alguma coisa melhor?! Na minha opinião, bem mais viril e libertador do que clicar numa patilha envergonhada e escondida do mundo atrás do volante.

Se sou contra as caixas automáticas e de dupla embraigem? Claro que não, muito pelo contrário. Num mundo ideal todos os utilitários deviam vir equipados com esta maravilha da técnica , o meu carro incluído. Mas no que concerne a carros desportivos aí o caso muda de figura, a caixa manual foi e continuará a ser a minha predilecta. Longa vida à caixa manual!

Para terminar, alguns exemplos de mestria e talento no manuseio desta ferramenta que quase todos sabem usar mas só alguns dominam: